terça-feira, novembro 23, 2010

Dia da Consciência

Pelo menos por um dia
ler as mentes dessa gente
com as mãos.

Entender o que pensam
das vagas das águas negras
universitárias diplomadas
subscrevendo com os dedos.
(Deviam usar os dedos médios!)

E da lei que vem impressa
nas caixinhas longa-vida
abundantes vertendo
até encher as barriguinhas.
(Lei te dá exclusão!)

E do princípio do politicamente correto
que nos impõe a hipocrisia eufêmica
dos dizeres ininteligíveis
sobre diferenças não aceitas.
(Dezenas de autóctones tiveram suas vidas
suprimidas por infantes de dezessete anos,
descendentes de alguém, que brincavam
com o produto da combustão de
materiais inflamáveis!)

Pelo menos por um dia
pensar os pensamentos
com as próprias mãos.

Porque enquanto tudo isso, os garotinhos
pilotam aviõezinhos de papel
no morro cartão-postal.
(Se não sabem ler,
como tiraram brevê?)

Porque enquanto tudo isso.

...

Um comentário:

Sandra Regina de Souza disse...

De calar a boca! Parabéns, querida!
bj