sábado, fevereiro 05, 2011

Libertei os gênios das garrafas

Porque elas eram retornáveis

Catei moedas em cada fonte

De desejos

Às estrelas não pedi nada

Quebrei a varinha da fada

Passei a tarde a cozinhar uma canja

Com folhas de couve e louro.

Não me serviam de nada

Aqueles ovos

De ouro.

2 comentários:

meuparedro disse...

Cráque =)

Daniella Caruso Gandra disse...

Rimas com um tom engraçado e leve!!