segunda-feira, abril 20, 2009

novela

os fios do tapete se entrelaçam
cegos
não sabem onde vão, por onde cruzam
por desenhos complicados
se complicam,
se entretecem, se entristecem
bordeiam uma flor e desviam
bordam uma margem e se desfiam
se dividem em mil fiapos geómetricos e bem-finalizados
cada feixe em seu nó
inssolúvel

4 comentários:

J.F. de Souza disse...

novelos se desmancham
e
então
surgem
emaranhados
nós

moacircaetano disse...

viajei pelo que suas letras tecem...

Mary disse...

belo! :*

Aline disse...

emaranhados até o fim.

:*