sexta-feira, outubro 01, 2010

súplicas

me rapte para tua cidade ou minha casa
quilômetros em comum, por um instante

des-cubra os cabelos da face
por onde e porquê me escondo

um sabonete que desvenda, mas não limpa
as sardas, seja

o título para meus poemas
um clichê, porque eu acho graça em

qualquer coisa, qualquer outra coisa
mas não nesse vazio insistindo entre os seios.

Um comentário:

poetamatematico disse...

Puxa! Adoro como vc escreve...

Tão feminino e tão lindo...