quarta-feira, julho 22, 2009

alvo

suspendi meu coração
para que não pudesse alcançá-lo
ato falho
o prazer mora
em esquinas
em vielas escondidas
em paredes onde se mira
alvo
apenas querer atirá-lo
já que não o alcanço
arco e flexa
mira certa
fato e fado.

9 comentários:

Nadja Reis disse...

Adoro os poemas da Aline...


eu supermeidentifico com eles...


UEHEUEHEUEH


;***

balboa disse...

alvo como a neve ou como os dardos?

Luiz Guilherme Amaral disse...

Cara, isso tem métrica de samba de raiz! Mto massa!

moacircaetano disse...

lindo, linda!
música!

A czarina das quinquilharias disse...

inalcançável.

Eduardo Trindade disse...

o prazer mora
em esquinas
em vielas escondidas
...

Uma bela verdade... Mas alguém, um dia, há de acertar o alvo, não?

Sandra Regina de Souza disse...

O alvo na mira...!
Acertando a rima!
ADOREI!! bj

Múcio L Góes disse...

nada como no alvo roçar ao alvorecer...

bjô.

J.F. de Souza disse...

o coração suspenso
lá no alto
é alvo
fácil

mas
mantê-lo no peito
onde todos sabem que ele se encontra

(quem foi dedo-duro que contou?)