terça-feira, outubro 20, 2009

minha peça

irrompe da coxia
adentra o meu palco

improvisa o espetáculo
profere cacos

em perfeita atuação
finge não fazer arte.

na platéia, meu coração
é todo mãos pulsando aplausos


Coisa nova também em Metade e Pedaço.

8 comentários:

J.F. de Souza disse...

Oraora... Tô gostando de ver, moça!

Adoro! =)

=*

terezaalcici disse...

Gostei dos escritos poéticos.

Renata de Aragão Lopes disse...

J.F.,

comentei "Lar",
poema que você publicou
no dia 10 de maio.
Adorei...

E gostei muito também de
"Minha peça"
- em verdade, sua! (risos)
Ter o coração
em aplausos
é uma dádiva...

Mais uma vez obrigada
pela visita ao doce de lira!
Um beijo.

Renata de Aragão Lopes disse...

Ops!!!
"Minha peça"
não é da autoria
de J.F. de Souza!

Só agora me dei conta
de que se trata
de um blog coletivo
- aliás, muito bacana.

Passearei por aqui.
Beijos a todos.

Rayanne disse...

Genial, bela!

**Estrelass**

Eduardo Trindade disse...

Tua peça é inteira. Preciso dizer mais?

Abraços!

Múcio L Góes disse...

daqui te aplaudo de pé!

=]

moacircaetano disse...

Bis! Bis! Sempre!