sábado, outubro 17, 2009

Ser

Instanteei-me.
Botei adjetivos no meu dia.
Cores em meus olhos.
Flores em minha poesia.

Momenteei-me.
Cantei novos silêncios em minha voz.
Solos de guitarra em teus ouvidos.
Plantei essa urgência dentro de nós.

6 comentários:

Carolina Louback disse...

belíssimo poema Moacir,amei. abraços

Sandra Regina de Souza disse...

Nossa, amigo! Eu adorei esse teu "ser"!!!!

J.F. de Souza disse...

Ser ou não...
Ainda que
por um momento,
instantaneamente...
Fica a questão
pra quem está

Elaine Lemos disse...

Ser tem que ser assim: sendo. Todo gerúndio.

Amo.

Cristina Loureiro dos Santos disse...

Muito bom!

Múcio L Góes disse...

arrebata
dor

=]