sexta-feira, outubro 09, 2009

transmutação

minha formiga
aquece areias
ao caminho da roseira

quando o rastro é de manhã
deita sobre a rosa
e de si mesma esquece

cantares de cigarra lhe
formigam por dentro

uma flor no lugar do coração.

6 comentários:

Aline disse...

em tempos de cigarra por aqui, sua poesia floresceu sorrisos em mim.

=**

Eduardo Trindade disse...

Que bela imagem foste buscar num mundo de jardim e de fábula para formigar o coração de quem lê! Gostei muito!
Abraços!

Múcio L Góes disse...

um dos mais lindos teus q já vi, Iara!

show!

na voz de vanessa da mata?

=]

Elaine Lemos disse...

Que lindo!

Amo.

J.F. de Souza disse...

Nossa... Mas que lindo isso, Iara qrida! Adorei!

=*

moacircaetano disse...

primaveril!