quinta-feira, junho 10, 2010





Vinho da colônia e vacas holandesas. A cidadezinha no fundo do vale, longe
de tudo. Foi como um sonho, as semanas que passei no campo. Aquela
menina tão perfeita, um tipo de amor que eu nunca tinha imaginado. Toda
tarde eu sentava no banco da praça e conversava com ela até escurecer.
Devagarzinho ela ia mudando a minha vida. Eu contava das coisas da cidade
e seus olhos brilhavam, ela sorria tão feliz. E como eu falava, que bobo
que fui. Montando com minhas palavras um castelo de ilusões. Longas
avenidas e prédios brilhantes, um mundo de néon colorido. Quando me dei
conta era tarde demais. Eu a perdi, ela já estava encantada. Pelos
letreiros, as vitrines. Eu tentei voltar, tentei explicar. Avisei que a
cidade é um vão. Era algo que pertencia somente a mim, e se foi por causa
da minha vaidade. Estúpido. Onde estará ela agora?



3 comentários:

Lubi disse...

que lindo!

escolha perfeita, essa música é maravilhosa.

Nydia Bonetti disse...

o neon fascina... e esconde as estrelas. que texto bonito. abraço.

moacircaetano disse...

Acho que não conheço a música...
mas adorei o texto, adorei as imagens e a metáfora...