segunda-feira, julho 19, 2010

Anunciação

Foi numa segunda-feira que ele chegou.
Aquele que nunca havia existido.
Aquele que mal me olhou
e já foi me arrancando o vestido.
Aquele que não me esperou
e em menos de um minuto em mim jorrou
seu gozo feroz e compulsivo.

Foi numa segunda que ele me arrancou
do mundo em que eu havia sempre estado.
Beijou minha boca, me agarrou
e me jogou num quarto desarrumado.
Me mordeu, meteu, me conspurcou,
me fez esquecer quem fui, quem sou
e me deixou com esse olhar apaixonado.

E foi nessa mesma segunda, já quase terça-feira,
que ele me deixou jogada na poeira,
me chamou de piranha e vagabunda
e bruto, me meteu o pé na bunda,
e foi embora sem dizer pra onde ia,
sem boa noite, boa tarde ou bom dia.

E foi nessa segunda,
já quase em terça transvestida,
que beijei a boca da morte
e abandonei os braços da vida.

8 comentários:

Aline disse...

Buarqueana?

Belíssima estréia.

:)

Í.ta** disse...

também me veio buarque à mente assim que li :)

ficou ótimo!

A czarina das quinquilharias disse...

bem-vinda, maria ana!
cuide bem da minha ex, a segunda-feira :)

J.F. de Souza disse...

Oraora... Gostei desse! =)

Prazer em conhecer. ;)

Francisco Nery disse...

(:

Joana Masen disse...

Maria Ana, meus parabéns! Ótima estreia, com um poema forte e sensível ao mesmo tempo.
Abraço!

Sandra Regina de Souza disse...

Menina Maria!
Que coisa mais linda!
Pungente!cortante.. pulsante... Poema de vida!

moacircaetano disse...

Que vontade de ter escrito isso...
Bem vinda, Maria Ana!