sábado, julho 24, 2010

impaciência

o sábado não vem de súbito
é uma recompensa infinitamente aguardada
impacientemente evocada
ao se amarrar os sapatos
em reuniões enfadonhas e a cada erro
404
o sábado não vem de súbito
é delineado no ar centenas de vezes
em 26 dos dias de todos os meses
semana que termina com a mesma ternura do sol a se por
o pote no fim do arco íris
a sétima
cor.

4 comentários:

Sandra Regina de Souza disse...

todos os dias deveriam ser sábado!!.. bj

moacircaetano disse...

que belo presente ter você cuidando do meu dia, Cza!
Mais um maravilhoso poema, obrigado!

Lubi disse...

hahaha.
exatamente isso: quando será sábado?

un beso, mi cariño.

Maria Ana disse...

O sábado é a cereja do bolo da semana!