segunda-feira, agosto 02, 2010

Rondônia

Vivo numa terra
onde todos são reis.
Onde cada um
escreve suas próprias leis.
Onde só existe o mundo do eu
e fodam-se todos vocês.

Vivo numa terra
onde ainda se resolvem
quase todas as coisas à bala.
Onde todos querem viver a vida
mas não têm tempo pra amá-la.
Onde quem cala consente
e quem não mente se cala.

Vivo numa terra estranha
de humildade pouca e raiva tamanha.
Terra de homens-deserto
e mulheres sem poesia por perto.

Vivo numa terra
em que todos se julgam donos.
Estranhamente, uma terra de ninguém.
E é do abandono
que me alimento.
Sempre distante, sempre além.

9 comentários:

MENEZES disse...

Na prática,vc acaba de descrever todo o territótio brasileiro, incluindo as pessoas! Muito bom

Casa de Mariah disse...

E mesmo assim, não desisto de tentar fazer a minha parte!

Lubi disse...

esse poema me trouxe algo de conhecido.

J.F. de Souza disse...

céu sem pássaros...

A czarina das quinquilharias disse...

começo perfeito
denúncia em bom-tom
bjs

Aline disse...

moça bonita.

moacircaetano disse...

Já passei por estas bandas, e entendo um pouco do que disse... mas devo dizer que as mulheres por aí são belas, plenas de vida, apesar de todos os poréns!

Anônimo disse...

Te entendo .

varal da angel disse...

Eu tambem.