quarta-feira, agosto 04, 2010

Tinha os pincéis en garde
prontos para mostrar do que são feitos os olhos
Passa uma, passa duas
Shhhh... Shhhhhhhh...
Vai pintando devagar, com calma
Shhhh... Shhhhhhhh...
O som da crina artificial sobre o pano
traçando um caminho que já foi destino
hoje é só um desejo longínquo
Shhhhh... Shhhhhhh...

Puxando velhas e novas tendências
vai demarcando seu território aquarelado
mesclando tintas, misturando sentimentos
nem que fosse três da manhã pararia

Interromper a inspiração?
Menos dolorido estar numa fogueira da Inquisição!

Shhhh... Shhhhhhhh...
Para subitamente para medir as proporções
Com um olho fechado e a língua para fora

E volta
Shhhhh... Shhhhhhh...
Passando a crina artificial sobre o pano

Quem sabe, um dia, numa Bienal?

(Luiz Guilherme Amaral)

6 comentários:

Casa de Mariah disse...

nunca dominei o "borrado" da aquarela.
nunca entendi "efeitos indesejáveis"

moacircaetano disse...

A única arte na qual nunca me aventurei é a pintura...

Aline disse...

cheguei a imaginar o movimento das mãos.

lindo.

Maria Ana disse...

vívido!

J.F. de Souza disse...

obra-prima! excelente!

1[]!

Sandra Regina de Souza disse...

"traçando um caminho que já foi destino
hoje é só um desejo longínquo": que lindo isso!!!!!!
Viajo em preto e branco
e levo a vida aos trancos!!!