domingo, julho 03, 2011

Leandro Jardim

O primeiro post desse blog é do querido Leandro Jardim, então nada melhor do que começarmos com seus poemas.

Apreciem!


ARBíTRIO

1. Alternativa

o caminhar
alguns passos mais
o chão
viu o buraco
a penas
depois
soube-se
levantar
o caminhar

2. Alternativa

soube-se levantar
o caminhar não
impedido pelo aviso
antes
pela paternimaturidade
o que havia do lado
de lá não
soube-se
(estrofe mais curta)

3. Conclusão

E ainda há quem pondere sobre alternativas já testadas.



RASCUNHADO

Às vezes um pensamento vem bom,
como sino na brisa.
E o lápis, pronto, e o poema
(versão um).

Outras tantas é o branco do papel que chega
à mente sur ton.
E me sujo a rascunhar pensamentos
(menores versos).

Mas toda origem é filha da labuta.
Seja na avidez com que se traga os dias,
seja pela intenção que ganha a vida.

O irônico da coisa é o tempo
da poesia,
que quando se faz
já é passado
(a limpo).



ÚLTIMO-ATO

meu estado é terminal:
é ter-me now
or never



MENINA ADVOGADA

(para uma bela transeunte
que passou na minha frente
numa tarde qualquer no centro)
Teu belo corpo e matreiro
Não se esconde por trás das vestes formais
Teu charme que até cotovelos
Distrai dos esnobes sapatos aos pés
Teu salpicado em ondas cabelo
É ninho tal que não há não querê-lo
Teu passar de sumiço à esquina
Tem dissonância qual música linda
E teu sério dom de mistério
É, meu bem, meu puro despautério



E O LÁPIS

.
De cada papo que toca o céu,
o papel.

Da tal conversa que não disperso,
o verso versa.

E à boa idéia que fácil se acha,
a borracha.



Leandro Jardim escreve no blog Flores, Pragas e Sementes...



4 comentários:

Sandra Regina de Souza disse...

Sempre belas as flores que esse moço planta!!! Eu colho seus botões... Sua fã incondicional! bj

Leandro Jardim disse...

Uma honra ter feito parte desse blog desde o início! E uma grande saudade também...

grandes abraços a todos :)
LJ

Lubi disse...

Leandro,
sou mais feliz por te conhecer. ;-)

Leandro Jardim disse...

que alegria!