sábado, fevereiro 16, 2008

Sétima

A vida, vou te dizer,
não é brincadeira não.
A vida é coisa séria,
feita de matéria etérea,
bambu, cola e papelão.

A vida, ai... se desmancha
quase que ao sabor do vento.
Não resiste a muita chuva,
não resiste a muito sol,
não resiste aos elementos.

É coisa tão delicada,
dá medo passar a mão.
Corre a proteger a vida!
Corre, cura suas feridas
antes da dissolução.

A vida, vou te dizer,
não é brincadeira não.
A vida é coisa séria,
feita de matéria etérea,
bambu, cola e papelão.


Crianças sabem da vida
melhor que nós, gente grande.
Sabem, com suas mõs frágeis,
muitas brincadeiras ágeis...
assim a vida se expande.

Quero de novo criança
ser, nem que seja um dia.
Reaprender a brincar
de viver, sem machucar
a mim ou à maioria.

A vida, vou te dizer,
não é brincadeira não.
A vida é coisa séria,
feita de matéria etérea,
bambu, cola e papelão.

Mas tem um segredo a vida:
cabe na palma da mão.
E se um dia se desmancha,
só recomece a dança
e cante outra canção.

E a vida ressurgirá,
criança recém-nascida.
Pedindo o seu carinho,
pedindo mimo e colinho,
pronta pra ser aquecida.


A vida, vou te dizer,
não é brincadeira não.
A vida é coisa séria,
feita de matéria etérea,
bambu, cola e papelão.

6 comentários:

Dauri Batisti disse...

Mesmo dizendo que a vida não é brincadeira não você quer afirmar com todas as cores que brincar é a única forma de viver bem essa vida que não é brincadeira não. parabéns. Valeu.

Anônimo disse...

A vida pode não ser brincadeira, mas o seu poema é lúdico...delicioso.
Marcia

A czarina das quinquilharias disse...

gostei do refrão :)

J.F. de Souza disse...

Quando eu crescer, eu quero escrever assim igual a você, Moacir!

BELÍSSIMO, esse escrito...

Leandro Jardim disse...

a vida, vou te dizer
foi descrita numa deliciosa canção
!


abraço
Jardineiro

Múcio L Góes disse...

música da boa, Moa!

grave isto!

[]´s