quarta-feira, julho 30, 2008

logout

expulsei de mim:
a que invadia
a que esmurrava tuas portas
a que mendigava tuas palavras
a que gritava em teus ouvidos
a louca
e a ludibriada.

expulsei de mim:
a falta de amor próprio
o desmazelo
a covardia
a fadiga
e as ausências.

vou me desconectar
arrancar os cabos
voltar pra mim
e podar minhas asas.

7 comentários:

Luiz Guilherme Amaral disse...

quanta ira! quem te fez isso?

J.F. de Souza disse...

Mas você esperou o processo de remoçao ser concluído, ñ? Antes de dar esse logout forçado...

Sandra Regina de Souza disse...

off line a gente pode configurar mmelhor nossas emoções...rs... muito bom, moça!! bjsss

Nadja disse...

Forte!
Lindo poema!


bjosss

xD

Bill Stein Husenbar disse...

Sensacional.

http://desabafos-solitarios.blogspot.com/

moacircaetano disse...

O problema não são as asas, mas os caminhos que escolhemos trilhar...
Lindo, lindo!

Mary disse...

Humm, não sei se é bom podar as asas... Eu gosto de sonhar que a gente pode voar mesmo... rsrs

Lindo, Alhi! :**