quarta-feira, julho 02, 2008

mat(c)h

meu caro
há uma poesia
vibrando entre nós
em domínios fechados
ela dança e oscila em senóides
descrevendo uma trajetória absurda
traçando pontos em outras dimensões
enquanto isso minha alma tangencia a tua
em um universo eqüidistante e nada convencional
com você eu quero um binômio
quero ser parte do teu conjunto das partes
mais do que elemento
eu quero ser tua
quero aqui e quero agora
com você em um biombo
aqui, ali e a sós
cruzando paralelas no infinito
quebrando postulados
e parindo soluções.

Aline


4 comentários:

moacircaetano disse...

Já tinha visto (e me emocionado) no Verso Inconstante, ontem...
Adoro o ritmo, a silhueta e o cerne das palavras de Aline...

Anônimo disse...

Quem consegue fazer uma bela poesia c/ elementos matemáticos, extrapolar sentimento em cima do exato, emocionar com termos precisos, é muito f....
Marcia

..::Andressa::.. disse...

caramba, adoro este blog
amei cada poema

beijos e parabens

Múcio L Góes disse...

eu que detesto matemática...

amei-o.

amo-a.

:*