sábado, fevereiro 14, 2009

Mercedes

Mercedes gosta de retas...
Gosta do certo, do correto.
Do caminho mais curto entre dois pontos.
Mercedes gosta de ligar os pontos.
De achar a solução.
Gosta de ter sempre a resposta.
Mercedes não gosta de adivinhações e apostas.
O que o mundo tem de mais claro,
é isso o que Mercedes gosta.

Mas a vida, Mercedes,
é curva.
É curta e ainda assim
cheia de rodopios e revezes.
A vida é imune a teses
e exercícios de racionalização.
A vida diz não
quando deveria dizer sim.
A vida é assim,
sempre fugindo de nossas mãos.

Um dia Mercedes desperta
e olha lá fora a chuva...
Feliz, a descoberta:
toda curva
é feita de infinitas retas!

9 comentários:

milene portela disse...

toda reta pode acabar numa curva,
ou toda curva acabar numa reta...
e toda reta pode ser uma curva cansada e certa...!

mto bom!!!

Mariah disse...

infinitas retas que quantas vezes adiam nossos roteiros. inundam nossos caminhos e nos fazem buscar caminhos alternativos.

Caio Cezar Mayer disse...

è, o acaso é terrívelmente neutro e indiferente! pra mim, ainda bem!

abraço.

A czarina das quinquilharias disse...

ha! lindo!

Nadja disse...

E você não dá ponto sem nó quando se trata de poesia!

ueheueheueheu


beijoss


:)

J.F. de Souza disse...

Caramba, Moa, meu véi! OBRA-PRIMA! =D

Sandra Regina de Souza disse...

E muitas retas acabam numa curva (perigosa!!)...rs... sinuosos pensamentos...

aline disse...

geometricamente lindo.

um beijo.

Múcio L Góes disse...

um legítimo Moa de excelente safra.

=]