quinta-feira, abril 08, 2010


Fui o último passageiro da noite, sozinho no ônibus metropolitano.
Sentia-me meio constrangido que a cidade gaste tanto dinheiro para me levar pela BR-277, também chamada rodovia do café. - Motorista - gritei - Somos só eu e você hoje. Vamos sair dessa Curitiba rubicunda e rumar prá algum lugar menor, mais próprio para pensar nas coisas, vamos ali para os lados da serra do mar. Encostar a viatura em alguma vila de pescadores, quem sabe até Guaraqueçaba; estacionemos ao lado da pracinha para tomar uma cerveja, deixando o ônibus reluzente na porta como monumento, metálico, cinzento, solitário, com placa da capital.

2 comentários:

J. disse...

Tem horas em que a gente realmente precisa fugir dessa rotina opressora.

Adorei o texto.

Beijo.

J.F. de Souza disse...

Hehehehehe... Booooooooooa!

Passei pela BR-227 no feriado último. Mas de carro, cuns amigos, rumo a São Mateus do Sul. Ô, lugarzinho loooooooooonge...

Mas deu pra curtir um bom relax! =)

1[]!