quinta-feira, setembro 02, 2010

Acabou.
Finalmente a porta fechada.
Alívio amargo,
agulha na pele.
Distâncias que não paravam de crescer.
Silêncios que não sabiam ser quebrados.
As lembranças pouco a pouco se embaçavam.
A minha imagem perdida, longe dos teus olhos.
E nada mais tem o gosto que tinha
e as palavras já não fazem sentido
e não há o que dizer.
Acabou.

5 comentários:

A czarina das quinquilharias disse...

a tristza longa do fim, quando definha.
bêjo, gil

Naná disse...

Sei bem como é.

moacircaetano disse...

dói quando acaba...

Sandra Regina de Souza disse...

Sem despedidas, apenas The end! bj

J.F. de Souza disse...

é triste o fim.

BÁRBARO, o escrito, caro Gil!

1[]!