quarta-feira, setembro 08, 2010

Eu estava à sua espera
posto que você me fazia muita falta
já não aguentava mais essa demora
já não aguentava mais meus olhos

tão secos

Mas é sempre do mesmo jeito que você surge
sem cerimônia, no entanto com toda força
para mostrar que sua ausência é mais que triste

é dolorida

Você voltou
e eu te amo por isso.

(Homenagem à chuva, que insistiu em se esconder mas voltou em boa hora)

(Luiz Guilherme Amaral)

4 comentários:

Dama.cil disse...

A.D.O.R.E.I

Eu achei que fosse um poema de amor rsrsrsrs

Aline Veingartner disse...

Esse poema devia virar um hino, que eu teria cantado no dia em que acordei e vi minha janela salpicada de gotas de chuva (acho que foi segunda-feira)

Aline Veingartner disse...

Gostei muito do blog, muito mesmo! Tem como participar?

J.F. de Souza disse...

uma declaração de amor à chuva. realmente bela.

eu ainda vivo uma relação de amor-e-ódio com a tal...

1[]!