quarta-feira, setembro 15, 2010

De
ci
di
da
men
te

Decidi, da mente,
não guardar nada

(Luiz Guilherme Amaral)


4 comentários:

Í.ta** disse...

fica o poema para isto.

achei ótemo!

grande abraço!

Marcio Nicolau disse...

libertadora decisão.

Fátima Nascimento disse...

Linda
mente

Sua mente atuou lindamente neste poemeto.

J.F. de Souza disse...

só o que se mente.