quinta-feira, julho 20, 2006

Aurora plúmbea


Essa manhã
amanheceu
tão
escura...

Vejo um céu cinza...
Mas não como o de outrora...

Esse céu
amanheceu
com cor
de chumbo.

Como se toda poluição do céu de outrora
se houvesse sedimentado nas nuvens...

Como se todas as Noites
transformadas em Dia
houvessem decidido invadir,
transgredir,
entrar sem hora marcada,
e em hora imprópria,
à sala da Aurora...

Chumbo!
O céu
está coberto
de
chumbo!

Como se toda Loucura dos seres terrenos,
todas suas impurezas e indecências
houvessem ascendido aos céus...

E essa Loucura é tamanha, chega a cobrir o Sol...

E eu posso sentir seu cheiro!
E posso sentir até seu gosto!
Posso sentir na pele
o peso
de todo esse chumbo
que me invade por todos os poros!

E eu posso ver a tudo isso
e admirar o espetáculo!
Relâmpagos cortam o horizonte
cinza-chumbo
apocalíptico...
É o caos!

A chuva vem para lavar a cidade
para seu derradeiro fim...
Vem manchar as ruas
com todo o chumbo
que estava no céu
diluído em água...

E eu aguardo ansiosamente a
chuva
para lavar os pensamentos da noite
imunda
e sigo a observar os raios que poderiam rachar-me a
cuca...

Vêm as primeiras gotas da chuva
umedecer a rua soturna...



P.S.: Keila! Obrigado! =)


12 comentários:

Nanna disse...

Vital toda essa chuva-limpadora...

Vêm seus primeiros versos encantar o nosso blog... Lindíssimo o seu começo...

Beijinhos!

:)

Mary disse...

Bela estréia! Um suspiro caótico e poético...

Bjos! ;)

Daniela Mann disse...

Muito interessante! Força ai e parabéns pelo blog!
Beijinhos da Daniela

Leandro Jardim disse...

Céu cinza de outrora
Que traz mais chumbo na aurora
Vê se não tarda que a hora
Das palavras - de agora -
Que clareiam não demora


Grande estréia!

abs
Jardinísticos

Múcio Góes disse...

Tapete vermelho para o nosso novo e bom Poeta!

Bela estréia, parabéns!

Grande Fejones!

[]´s

dudv disse...

Muito bonito

Keila Sgobi disse...

aih, que peso!
até dói o coração!
bate mais forte, bate até mais fundo...

e...de nadinha!

bj!

Aline disse...

Belíssima estréia :) :*

Sol, a Mãe do Freud disse...

Faço coro às vozes todas aqui de cima que é pra reforçar a louvação e comprovar a qualidade!

Nossa! Q beleza de poema, meu amigo Fejão! Fiquei quase sem fôlego, numa nuvem cinza, no meio da cidade, pedindo junto por chuva viva pra gente toda!

Parabéns e mta força positiva nesta sua nova empreitada!


Bjs

Ady Cavalcacante disse...

Bom vê-lo produzindo de novo, "qrido"!!!!!!! Muito bom!!!!!!! Beijos!!!!!

Digito disse...

Ao contrário do céu de Brasília, Sampa, às vezes, tem ares de Gotham City.Chumbo no céu e no coração de inocentes. Quando isso vai mudar?

Patyçazinha disse...

JF,
Vc como sempre... mandando muito Bem! Adorei...
Tô gostando do seu novo lar, achei bem interessante...
C cuida!
Bjs no Coração
Patyçazinha