quarta-feira, julho 05, 2006

Penitências

No emaranhado de experiências
encontrei o essencial.
Descobri que as penitências
têm papel primordial.

São da alma a aflição,
a misericórdia do Senhor.
De curta ou longa duração,
intentam sempre o amor.

São instantes de tortura
que conduzem ao perfeito.
São divina censura
a qualquer malfeito.

A todo Espírito comum
são efeito merecido.
Se não houver bem algum
será mesmo sofrido.

Tornar-se-ão menores
quão maior a caridade.
Subestimadas as dores
haverá a verdade.

E o ser purificado
encontrará o Caminho,
e desfrutará maravilhado
da infinda luz do Deus-Ninho.

6 comentários:

Múcio Góes disse...

é que só pensar não basta, e há que se saber que tudo não é só aqui.

bjo, mô.

:*

pedro pan disse...

, teu texto soa como prece...

|abraços meus|

Leandro Jardim disse...

Aqui se faz, aqui se paga
A que se faz, a que se paga
Mas não desfaz porque se paga
Senão seu bom se jaz, ou se apaga

bjs

Valéria disse...

eu ando mais pra "Meu Deus, me dê a coragem" da Clarice Lispector... mas admiro muito, mas muito mesmo quem tem uma fé bonita e forte...
quem sabe um dia...quem sabe um dia...
beijo menina!

Mary disse...

Concordo com Pedro, "soa como uma prece"!

Lindo! :)

Beijos.

Aline disse...

E o sentir eterno.

[eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee]

Bjos.