terça-feira, julho 04, 2006

desinvento

Uma noite em minha cama,
dessas noites de insônia...
...tive um pensamento bobo,
e me flagrei imaginando
se por pura displicência,
ou, mesmo por maluquice,
Deus tivesse esquecido,
esquecido de te inventar.
Ai, meu Deus, que tolice!
Eu vivendo nesse mundo,
desprovido assim de graça,
mergulhado no absurdo
de não ter a quem amar!
É que até de imaginar dói,
minha vida todo dia,
sem sentido e alegria,
a respirar, simplesmente.
Mas, foi só um pensamento.
Porque se verdade fosse,
eu jamais suportaria!
E para não existir sem ti,
juro, que eu me desinventaria.

8 comentários:

Nanna disse...

Maravilhoso, como tudo que nasce em você...

Amo-te.
Beijos de saudade!
:)

Aline disse...

Que declaração de amor!

Surreal.

:*

Leandro Jardim disse...

meu Deus, o rapaz também sabe ser romaaaaaantico... que bonito!!!

abração!!!

pedro pan disse...

, que amor. desinventar por o amor... é prova dele.

|abraços meus|

Valéria disse...

"Enquanto eu tiver perguntas e não houver respostas, continuarei a escrever..." (clarice lispector)
um belo dia... a resposta chega!
pq a gente só encontra a resposta, quando ela já está em nós... rs
beijo beijo
(preciso parar com esta mania de ir nos lugares e ficar ali...falando sozinha...) rs

Mary disse...

Um dos meus preferidos! :)

Lindo! Lindo! Lindo!

Ady Cavalcante disse...

Maravilhoso!!!!!!

Cristina Loureiro dos Santos disse...

É um maravilhoso poema de amor! Gostei muito que uma pessoa muito especial me tenha apresentado os teus textos, tanto as prosas como os poemas. Este é realmente muito lindo...Tão romântico :) Parabéns