quarta-feira, outubro 24, 2007

Amor

Vale a pena dizer que
mesmo existindo dentro da mais antiga desordem
experimento o sentimento antes inacreditável.
Meu coração se farta de calmaria em meio à confusão.
Minha imaginação sonha às voltas da roda oscilante.
Meu corpo é simples desejo nesse terremoto.
E o meu espírito confraterniza com o tumulto.
É amor invadindo a minha vida...

2 comentários:

Erika disse...

esta calmaria interna é tudibom.

beijo

Ch disse...

Cara Nanna;
Gosto de poemas exatamente assim, equilibrados tenuamente em palavras que nos fazem pensar, pensar um tanto!
Belos versos.
Abraço do
Carlos