segunda-feira, outubro 29, 2007

poema de amor inconvencional número 17

Tinha os seus olhos,
mas era gay.
Dava pra ver pela blusa
e pelo cabelo encharcado de gel,
pelas coxas que se roçavam quando ele andava
pelo pulso suspeitamente solto.
Não, não há dúvida,
era viado.

Mas tinha os seus olhos.

3 comentários:

Múcio L Góes disse...

hehehehe...

só vc...

sol vc!

:*

moacircaetano disse...

E os olhos, afinal de contas... sao os olhos!

Leandro Jardim disse...

Caraca, maneiro! Hehe...

beiJardins