terça-feira, outubro 16, 2007

elo-quência

tire dos olhos
essa venda,
moça,
e por favor
me entenda,
se for o caso
eu traduzo,
ponho legenda,
[não se ofenda]
mas, por favor,
moça,
me entenda,
se eu dançar na chuva
uma rumba,
se eu for
na macumba,
se fizer oferenda,
me entenda,
se eu virar vidente,
montar uma tenda,
ou até
se eu puser
a minha alma
à venda,
e nem Deus
me defenda,
por favor, entenda,
e quando eu pedir
a sua mão, moça,
por favor,
me prenda.

9 comentários:

Aline disse...

Cada dia mais difícil comentar o que você escreve.


amo

Erika disse...

Quase uma prece.

Beijo

dän disse...

Mucio, q lindo este poema.
Parabens...

Jefferson! fico feliz em saber q consegue acessar meu blog enquanto trabalha. Seu chefe nao poderia dizer o mesmo né! hahahahahaha... ah! Orkut. eu tenho orkut. Msn não... msn é meu medo.

Lá no blog tem o link para o meu orkut. Beijossss!

*ps: desculpem eu nunca sei como comentar por aqui... para um, para outro. no post de um, no post de outro.

Mas sao todos demais.

Camila Lemos Barata disse...

Palavras de amor
Tem sabor de amora.

vanessa_fmc disse...

Ela não vai te prender
Enquanto você surpreender
E por favor entenda
Que é em qualquer emenda
Você é craque nisso!

Beijos,

Vanessa
(de blog novo).

Bill disse...

Dança que dança com belos versos...

Perfeito

(=

moacircaetano disse...

Maravilha, maravilha.
Ritmo perfeito.

Leandro Jardim disse...

e nessa prisão
que seja noitedia
assim de poesia

hehe, Grand Múcio!

abs Jardim

Sandra Regina de Souza disse...

Como não atender?... bjo