sábado, outubro 27, 2007

Núpcias

Iza era feliz num sonho.
Não se dava com o mundo
e suas raias do absurdo.

Um dia Iza sucumbiu.
Igreja, véu e grinalda.
E num álbum de retratos
escondeu a sua alma.

5 comentários:

alex pinheiro disse...

A instituição mortal,,, Mortal até em interpretação social, observando a distância e individualidade humana,,,
Está feita esperma que um ou outro atinge, sucumbi...
Belo, Moacir...

Abraços e sociais invenções!

Marcos Côrtes disse...

cara... seria perfeito fazer uma camisa com essa frase, Rs**** se não fosse o fato de ser crime por um texto tão metafórico e simples para explicar algo tão complexo...

Parabéns!

Leandro Jardim disse...

forte, rapaz!
E muito bom!

abs
Jardineiro-o-o-o

Leandro Jardim disse...

Realmente...
os dois versos finais pedem palmas de pé!

Múcio L Góes disse...

excelente.

[]´s