domingo, novembro 04, 2007

DO AFAGO

para Lysia Leal
Pulso claro, inofusca luz, do afago,
serena alegria da paixão
correspondida como os momentos raros
de sua própria condição.

Ah, essa humanização de metáforas primaveris,
de pueril escrita,
contraria tua repetida condição
que ao rever berro
e reverbero: fica
fica, fica.

7 comentários:

Erika disse...

um eco do coração.

beijo

Múcio L Góes disse...

é no afago que me afogo.


muito bom, berrar e reverberar, rever, beirar o verbo, verbo alisar...

um poema primaveRio saído de um Jardim.

bom Jardan!

Lubi disse...

Doce, linda homenagem.

Um beijo!

Ana Pérola Pacheco disse...

prima-vera
primaveRIA
prima-verá
o verbo ficar!

Paula Jardim disse...

Hummmmm
Para Lyisia....ARRASOU!!!!

Ficou LINDO!!!

Bjs

Jefferson de Souza disse...

EXCELENTE, Jarrrdim! EXCELENTE!

mary disse...

Muito bonito, Jardim! Doce afago. :)

Beijos :**