domingo, novembro 25, 2007

OFÍCIO SACRO

é muito engraçado
o que tem a oferecer o mundo
pelas mãos dos livros que circundo:
uma certa frieza que dá-me enfado
beleza nos temas não antes tocados
que não justifica
o baralho de idéias sobrepostas,
intocáveis,
ou uma arqueologia de vocabulário.

(faz-me rir o riso constrangido
esse gemido que não soa mais que isso)

há que haver pulso pra nascer um grito
e conteúdo pra esgueirar a alma
e manuseio árduo a rimar a forma
dada por um fino e firme fio
que amarre esse resquício plástico
ou faça valer o sacrifício

3 comentários:

Carol Marossi disse...

Rapaz, tua poesia está ficando bastante sofisticada. Gostei dessa 'nova fase', viu? Continue.

Beijos.

Erika disse...

é muito engraçado
o que ofereces
o conteúdo que faz rimar a forma
e amarra a alma num grito
e faz valer o sacrificio.

:o\ misturei suas rimas :o\

Sorry

:)

Beijos

Múcio L Góes disse...

eu rio junto, enqto nao ou�o o grito.

[]�s