quarta-feira, janeiro 13, 2010

self

quando só,
gostava de sentir o cheiro
que as brincadeiras solitárias
exalavam.
roupantes nus
de uma solidão exemplar.

5 comentários:

Roberto Wolvie disse...

fenomenal e concisa, como tudo que é bom.

Sandra Regina de Souza disse...

No fundo, o solitário tenta escapar
da "Solidão exemplar"! (lindo isso, menina!!) bjos

J.F. de Souza disse...

self-help?

Marcos Côrtes disse...

Realmente há um brilho no ser sozinho, é uma mistura de medo do outro e confiança em si junto com desejo do outro e desconfiança de si.

Está só é não está consigo mesmo, pois não se a si mesmo nem contigo, nem com outro.

A czarina das quinquilharias disse...

bonita, branca.