sábado, janeiro 09, 2010

the end

o fim de
uma noite
teu rastro em
meu corpo cálido
a tinta efêmera
de nossas poesias
despedaçando os
guardanapos que
caem no chão
da despedida

6 comentários:

Atriz disse...

com altas metáforas lindas!

bj!Gisele

Marcos Côrtes disse...

Depois de uma noite,
o cheiro do outro é o que sobra.

E mesmo que não tenhamos atingido o outro,
o que o outro "é" é o que foi sentido. E não importa mais nada.
em uma guloseima, O papel é a bala, e nada mais.

J.F. de Souza disse...

beginning
algumas linhas
e o fim

momentos...

J.R. Lima disse...

nada se perde
nada se cria
(quase) toda despedida
dá poesia

Sandra Regina de Souza disse...

Um ótimo fim pra (re)começar! ADOREI ler-te aqui de nvo!! beijo

Aline disse...

amo ler-te!

(L)³