segunda-feira, agosto 20, 2007

Perda

A poesia perdeu-se
Em folhas amassadas
Em papel rabiscado
Em restos de cigarros.

Nesse enfadonho
Fado não lusitano
Os dias passam
E as folhas caem.

Vou ao encontro
Do que nunca perdi
E ao desencontro
Do que havia de vir.

A poesia perdeu-se de mim.

3 comentários:

fabio jardim disse...

lindo, lindo!!

Leandro Jardim disse...

e achou-se assim
bela como paisagem
nítida janela

beiJardins

moacircaetano disse...

como pode-se ver nessa bela poesia que vc escreveu, a poesia não se perde, pois mora em ti!
Beijos!!!