terça-feira, agosto 14, 2007

Sigo

Tal como o pardal
na imensa estrada
que no último instante
vê o perigo
em vôo rasante
de susto e de vento
sacudo o medo
e sigo.


Queridos amigos-leitores, é com grande prazer e alegria que vos apresento a querida poeta e escritora lusitana Sofia Loureiro dos Santos. Dona de uma poesia madura, e doçura bastante atraentes, Sofia traz também nos seus textos sua clara preocupação com aspectos sociais sem perder a essência poética que lhe é peculiar. Aqui, no http://www.defenderoquadrado.blogspot.com, ela nos brinda com seu trabalho.

7 comentários:

Mary disse...

É importante sacudir o medo de vez em quando... Gostei muito!

Beijos aos dois.

:)

Leandro Jardim disse...

Belezura! Seja bem-vinda no vôo oceânico!

abs também no Múcio!

Aline disse...

Felicidade é transformar o medo em vento e poder sacudí-lo.

Lindo!

Bjos

moacircaetano disse...

O perigo são os carros em alta velocidade...

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Obrigada ao Múcio pelo convite e a todos pelas palavras. É uma honra ser vossa companheira.

Sandra Regina de Souza disse...

Maravilha de poema!! Obrigada, Múcio por apresentar versos tão perfeitos! beijos nos dois!!

Cristina Loureiro dos Santos disse...

Lindo!
Sou fã desta poeta há anos ;)

Beijos aos dois :)