sábado, maio 17, 2008

Silêncio

Hoje não tem poesia.
Pois hoje
não quero anestesia.
Hoje quero a dor inteira
pra me lembrar
das minhas asneiras.
Hoje não quero paz
nem fantasia.
Por isso hoje
não tem poesia.

4 comentários:

Anônimo disse...

Que poesia não-poesia mais perfeita!
Marcia

Múcio L Góes disse...

mesmo qd nao tem, tem!

ser poeta é ir além!

grande Moa!

[]´s

J.F. de Souza disse...

Não tem, é?

..::Andressa::.. disse...

Adorei!!