quinta-feira, maio 01, 2008

jaz mim

há quem chame
de dilema,
o que eu
chamo solidão,

isso de transformar
dor em dor,
chão em
chão.

7 comentários:

Grazielle disse...

Muito bem montado! Adorei... Pequeno e belo!

Nadja disse...

Lindo poema! =)

moacircaetano disse...

dolorido, mas tão bonito...

Leandro Jardim disse...

ai, bom mas dói...


abs
Jardim

Aline disse...

perfumadamente lindo, amor meu.


(L)³

Sabrina disse...

lindo demais!
(e eu chamo de des-ilusão...
dói, mas acho bom!)
:)
beijos...

Ácido Poético disse...

Amig@s cabeças,
a correria cotidiana me deixa sem tempo até para respirar. A sorte é que sempre encontro oxigênio por aqui, entre as letras.
Deixo um abraço com sol para todos.
Brunø