quarta-feira, junho 25, 2008

silêncio

Faz-se muito silêncio.
Não que isso não seja bom
mas é impróprio
torna-se nocivo
aos nossos corações

Pode me pedir para cantar
o hino da USSR
peça-me também para ler
bulas de remédio
mas, por favor,
não me peça silêncio.

Peço-te que me escutes
que estejas presente
pois essas ausências
machucam tudo o que
estar por vir.

Ainda e agora
quero que saibas
que tudo o que sinto
é novo e estranho
de um momento sem fim.



parceria com o querido Luiz Guilherme Amaral, que escreve aqui

4 comentários:

mary ienke disse...

Lindo!


:D

Mary disse...

adorei adorei! :D

Leandro Jardim disse...

Bacana, ficou bem interessante!

:)

moacircaetano disse...

Tentei comentar esse poema 3 vezes em 2 dias, e sempre dava errado!
Mas voltei, já que adorei!