terça-feira, junho 03, 2008

somos sinos sozinhos

só no nosso sono
somem sem som
a sombra dos sonhos

enquanto em alto e bom tom
sobem cortinas sem dó
sobre a dor de nossas sinas

expondo, assim, em praça aberta
sobre a luz dessas retinas
almas sozinhas, pesadelos tristonhos.

(aline + jardim)

2 comentários:

moacircaetano disse...

doído...
mas belo, como não poderia deixar de ser.

alex pinheiro disse...

Caraca! Se não é mesmo um presente esse lance da parceria,,,

Enquanto isso o B7C vai pipocando serpentinas e línguas de sogra da literatura empoeirada na web...
Nesse espaço conheci letras fenomenais e caminhos possíveis pra descompromissados literatos, feito eu,,, Num único compromisso,,, Ser lido!

Cá fico feliz e triste, no mesmo tempo, pois que numa única página têm-se geniais inventores, e tão poucos comentários,,, "almas sozinhas e pesadelos tristonhos"... Perdoem-me o acre. rs

Bjs, Abraços e Vivas!