domingo, setembro 28, 2008

Coração forjado

mas
o pedaço
de aço
não pulsa
junto
e o coração
descompassa
e passa a
sentir
o peso
do metal
que
des
cola

será preciso derreter
infinitas lâminas
pra forjar um coração
que não sinta mais
dor
alguma

nem
uma
se
quer

13 comentários:

moacircaetano disse...

Rapaz, vou te dizer!
Acho um dos melhores poemas seus, de verdade!
Cortante, lírico, rítmico e, acima de tudo, emocionante!
Parabéns!

sandra disse...

Maravilhoso!!!! Jeff! Lindo-lírico-perfeito!!! beijo

J.F. de Souza disse...

Quanta lisonja... = )

Yara disse...

Será preciso
aquecer
amolecer
a armadura forjada.

Será preciso um coração
de novo
em seu ponto de fusão.

Monica Mamede disse...

!

Laminar.
Adorei


Beijo grande

A czarina das quinquilharias disse...

pulsante e bem escrito.
5 estrelas.

J.F. de Souza disse...

Destacando que este escrito veio deste escrito do blog Atraversando, da nossa já qrida Yara: http://atraversando.blogspot.com/2008/09/forjado.html

Visitem!

Andrew disse...

EXCELENTE meu caro!!! fabuloso!!!

aline disse...

Bravo!

Anônimo disse...

Muito bom te ler!
Marcia

Mary disse...

Jeff! Amei! Maravilhoso este! :D

Remo Saraiva disse...

Talvez dos melhores seus que eu já tenha lido - no duro, como diria Silvio Santos.

Abs,
REMO.

Múcio L Góes disse...

fico com Moa...

:)

jeffoda!