sábado, setembro 27, 2008

Tarde

Me segura as pernas.
Entra debaixo da minha saia
e só saia
quando eu enfim gozar.

Me segura es costas.
Eu bem sei do que gostas.
E só faço
pra te ver assim, sem ar.

Minhas fendas
se abrem uma a uma.
Abro tua pele
com minhas unhas.
Olha nos meus olhos e diz que me ama
e planta tuas raízes em minha cama...

Faz com que eu seja tua, mais uma noite só...
Depois podes voltar pra tua casa.
Pra tua vida sem graça.
Pros teus vôos sem asas.
Até que algum dia
a nossa poesia renasça do pó.

9 comentários:

Sandra Regina de Souza disse...

Lirismo apimentado... gostei dos versos femininos!! Vc é bom mesmo nisso! beijos

A czarina das quinquilharias disse...

também acho.
acho que que saiu o mais convincente de tutti, até agora...
:)

Fernanda Leturiondo disse...

obrigada pela visita.. e que bom que gostou.

semana quente por aqui..
gostei muito!

C. disse...

é, apoio as palavras da moça aí de cima: você é bom mesmo nisso!
e é convincente.
e
ui.

J.F. de Souza disse...

Sim, sim, grande Moacir!
De fato, o mais convincente! É quase um escrito da Sandra, mas com um quê da Mary, talvez...
De qualquer forma... Tá BÁRBARO!!!

Yara disse...

Uma poesia em pó
me segura as pernas
me planta raízes
me arranha a pele
desta noite só.

Alex Pinheiro disse...

Porra, Moacir! Perfeito mew!
Coisa de mais inteligente que erógeno,,, Demais! Muito bom ler...
Gostei particularmente dos arranhões no corpo, rs

Abraços e geniais invenções!

aline disse...

emudeci :D

Mary disse...

Moa, demais esse! Adorei! Sutil, doce, sensual... e o final é maravilhoso!

:)