terça-feira, setembro 16, 2008

Um grito

quero gritar
pra me aquietar
e poder descansar
dormir, sonhar
pra acordar
e então voltar
voltar pra quê?
não quero saber,
não quero me prender
quero ser livre
caminhar solto
queria voar...
mas não posso
só me resta viver
e esperar
a morte chegar...

(releitura desse escrito aqui, da amiga Fernanda Leturiondo [blog: http://acasaoamanteeoexilio.blogspot.com/])

8 comentários:

Alê Quites disse...

deixa que eu GRITO.

Luiz Modesto disse...

E da-lhe encher o tempo entre nascer e morrer...
Pudera não ter sofrimento nesse meio-de-campo.

Muito bom, Mr. Jefferson;
Abraço

Aline disse...

Gritemos tudo!

:D

Fernanda Leturiondo disse...

Olha que caminhar solto tmb é um jeito de voar.

bjo

moacircaetano disse...

O Grito de Munch
carece de punch!
Já o grito de Fejones...
Caraca!
Cojones!

Serjones disse...

no fundo, somos todos gritadores!

Sabrina Sanfelice disse...

Porque voltar é sempre necessário.

Então eu prefiro me esconder, apertar e retorcer...

...até me encaixar, suavemente, entre o zero e o um de um mundo binário.

Baccios!

Sandra Regina de Souza disse...

Me veio a imagem do "grito" ..ecoando versos!! beijosssss