sexta-feira, agosto 14, 2009

Narcisa

agora que sou uma
mulher aprendida
no amor

recolho os frêmitos elaborados
frente às águas

e ao meu sono fluvial retorno
como uma sereia desativada
pra peixes e homens.

Iara Maria Carvalho

6 comentários:

moacircaetano disse...

às vezes, só nos completamos sós!
Belo!

Sandra Regina de Souza disse...

Lindo!! versos de leveza profunda... internamente construídos! bjo

Bárbara disse...

A poesia é a voz da alma,
dá para descrever seus sentimentos,aflições...
Muito... Profundamente!
E lindo!
Adoro seu blog
bjoo :*
P.s.:Passa lá no meu blog quando puder!

Mary disse...

Esse é daqueles que a gente pensa: "eu queria ter escrito isso!".

Lindo, Iara! :)

Beijoss

Múcio L Góes disse...

aberta para balanço... das águas do mar!

bello.

=]

J.F. de Souza disse...

UAU!