quarta-feira, setembro 27, 2006

a cor dos meus
olhos é antiga
vejo dores das
lições afora
vejo velas nas
entradas agora
vejo todos nos
lugares a mais
vejo as pedras
jogadas no rio
vejo um navio
que parte para
o mundo onde a
vida não cansa
onde a luz não
me cega, pois
a cor dos meus
olhos, aquela,
não vejo jamais.

8 comentários:

Wilson Guanais disse...

gostei muito daqui.
abraço à todos

Leandro Jardim disse...

tem aquela triste beleza!

Maia disse...

Ai, que lindeza, isso, Nanna. Parabéns! Até.

Múcio Góes disse...

belo e triste.

beijo.

:)

Mary disse...

que a cor dos teus olhos não esqueçam de brilhar...

;**

Keila Sgobi disse...

quem sabe este seja um belo caminho ao encontro do inconsciente?

sinistra imagem...

beijos!

Poeta Matemático disse...

Belo e interessante..

Q dizer, genial..

Sou seu fã..

BEijones

Jefferson de Souza disse...

Nanna qrida... Esse escrito...
É PERFEITO!!!

Tem um ar meio que sinistro, de fato... Mas é lindo!

Parabéns, qrida! Ficou MARAVILHOSO, esse! =)

=*