terça-feira, setembro 05, 2006

naufragar é preciso

    certezas em ti navego
dúvidas me querem cais
sentida pelo sentir
minha alma apavorada
segue o dilema
esse espírito de corpo
a querer ser grande
valer a pena
e nunca ais

10 comentários:

Poeta Matemático disse...

Muito bom...

Tem uma certa especificidade que me fez gostar...

Maia disse...

Eu tb não queria ser ais. Qdo descobrir, me diga, sim? Até.

Jefferson de Souza disse...

Nunca ais
Nunca mais
fico tanto tempo
parado
à toa
no cais

a superlativa disse...

eu navego nas dúvidas... deixo o cais (terra firme) para as certezas...

Mendoscopia disse...

Que sejamos todos pequenos, eternas crianças nesse mundo de "meu Deus". E sigamos velejando nesse grande barco dos nossos sonhos...
E quem disse que as "rapidinhas" não são boas?!

Bjos.
Jú Pestana

Leandro Jardim disse...

sempre ótimo
quanto olho
esse nosso
vosso timbre


muito bom!
abraços Jardinásticos

Keila Sgobi disse...

Às vezes, quase sempre-toda hora, e tanta confusão!

Vida de ambiguidades, amigo poeta? Ou de fugas[cidades]?


Prazer em cruzar contigo em meu caminho

Mary disse...

Viva o dilema...
A certeza da dúvida...
Que nos enche de ais...



;**

Nanna disse...

Nem umas, e nem outras...

Beijos...

Rayanne disse...

De ti o vento
faz vela
e o tempo,
uma cela
Encerra-te aqui.

*Cada vez mais fã.

**Estrelas**