sábado, setembro 16, 2006

RESPOSTA A UM AMIGO DE LETRAS

Um poema, meu amigo, é lembrança
outrora viva, hoje em brumas
daquelas que se busca, na esperança
vã, pois se perdem nas dunas

do pensamento que não se alcança...

Um poema, Múcio, é bússola
sem agulha e sem orientação
é barco à deriva, uma escuna
onde faltam leme e timão
e as ondas o levam, uma a uma...


Um poema – eu sei – é silêncio
é matéria fluida e amorfa
um poema, amigo, é cimento
à espera de fôrmas e formas
um poema é um único momento


Um poema é uma mordida na pele
é a dor que se avizinha, nítida
é um golpe na nuca, um direto
cicatriz invisível, onírica
um corte sem sangue, infecto


Um poema é ausência de gozo
e um coito interrompido
é um jato sem força, viscoso
um gemido interrompido
ainda no nascedouro


Um poema, é sim, um poema
e um poema somente
uma junção de fonemas
mais ou menos consistente
à espera de um dilema...

e de um leitor paciente!

9 comentários:

Jefferson de Souza disse...

PQP!!! PERFEITO!!! ABSOLUTO!!!

Moacir, meu caro... Curti demais este escrito teu!!! Demais!!!

1[]!!!

Leandro Jardim disse...

Um poema é uma lindura de escrito como esse! Isso é poesia, e ponto.

abraços
Jardim

Keila Sgobi disse...

Sr Caetano!
Que maravilha!!!

Sentia saudades de ler poemas assim, com estas características.

Nós, poetas da atualidade, vimos buscando uma nova expressão da poesia em suas formas e combinação de fonemas, temas e edemas que não combina com o que quero para minha vida.

Ah, foi aconchegante ler tuas palavras, não como leitora com paciência, mas precisando de uma ajuda...

Beijo com muita tranquilidade e um abraço!

Múcio Góes disse...

É, caro companheiro onírico, num poema como este, pude visualizar cada verso, e nestes, o inverso doque já disse, o que mostra perfeitamente que um poema e tudo, e tanto.


Ótimo!!

[]´s

Mendoscopia disse...

Moacir, maravilhoso isso!!
Poema é sim tudo isso e muito mais... é estrondo na noite silenciosa, é gota que explode no oceano. É um pouco de mim, um pouco de você e muito de todos que a percebem.

Bjos meus.
Jú Pestana

Mary disse...

Uau!
Maravilhoso este teu escrito, Moacir!

O poema simplesmente é! :)

Bjus!

Nanna disse...

Caraca, não cabe mais nenhuma palavra depois disso tudo...

Clap! Clap! Clap!

Beijinhos, dear...
:)

remosaraiva disse...

"Quem faz um poema salva um afogado."
Mario Quintana


Abração!!

REMO.

Rayanne disse...

Aff...
As palavras fogem todas,
correm todas prá vocês,
A mim resta o encantamento
Uma tanta timidez
De escrever dois versos ou três
E depois ficar com a minha mudez.

**Estrelas**