domingo, janeiro 21, 2007

AUTO, AJUDA?

De que vale o canto,
onde se come o prato,
se é de pranto?

Ser da arte o que faz,
se tudo nos parte,
se nos jaz toda paz?

Sou poeta, e daí,
se a matéria prima
pela vida?

9 comentários:

cza disse...

é que se o canto não valer pra você, acredite, ainda vale pra nós.
:*
(fica bem)

Marcellinha disse...

Mais um da série deprê? Espero que não! ;)
Bjs

Carol Marossi disse...

Fase de produção fumegante, hein meu jardineiro favorito? Delícia de ler.
As violetas andam com humor negro por aqui. Deve ser a cratera. E a soberba dessa cidade.

Sementinhas e a melhor semana!

Múcio Góes disse...

a vida prima, o resto é matéria.

Luz sobre Jardim!

[]´s

Eu* disse...

Uma colheita preciosa para meus olhos!
bjs!

moacircaetano disse...

a arte, o ser, a vida...
tudo transitório e (por isso mesmo) maravilhoso!

Aline disse...

Ciclo vital.

Lindo!

Beijos.

mary disse...

São dúvidas que nos alimentam... Mesmo se falta paz... há vida.

Adorei!

;**

Rayanne disse...

A matéria prima pela vida
O amor primavera pelo canto,
Que na poesia, encontre.

Ê poeta!

**Estrelas**