sexta-feira, janeiro 05, 2007

MARIA de TUDO

E era Maria a dona das rosas estampadas no vestido.
E era Maria a dona das rosas bordadas nas almofadas.
E era Maria a dona das rosas nos panos de prato.
E era Maria a dona das rosas nas cortinas do quarto.
E era Maria alérgica a rosas.

E era Maria a doceira da cidade.
E era Maria a fazer bolos.
E era Maria a fazer moles-marias.
E era Maria a adoçar festas.
E era Maria diabética.

E era Maria sempre sorriso.
E era Maria sorriso gentil.
E era Maria sorriso acanhado.
E era Maria sorriso gargalhado.
E era Maria triste.

E era Maria subindo a ladeira.
E era Maria a bufar.
E era Maria por debaixo dos peitos a suar.
E era Maria bunda a balançar.
Não era feia, era Maria.

E era Maria sol da tarde.
E era Maria noite e estrelas.
E era Maria canção do dia.
E era Maria humor pra toda sorte.
E era Maria sem norte.

E era Maria toda pudores
E era Maria toda calores
E era Maria terço na igreja.
E era Maria em cada cena.
E era Maria, na cama Madalena.

E era Maria.
E Maria era.
Do Inverno a primavera.
O que todo o mundo queria.
Até quando não sabia.

Patrícia Marques

---------------------------------------------------

Férias!
Olá, pessoal!
Apresento-lhes minha querida amiga baiana, Patrícia Marques, que será minha poeta substituta durante o mês de Janeiro. E eu terei um breve descanso. Ando mal-humorada e sem inspiração. Me perdoem! ;)
Mas vocês terão a oportunidade de conhecer a poesia da Patita, como eu a chamo, pela qual sou fã. Se não fosse por ela, e por seus escritos no Patriciando (que infelizmente está desatualizado), eu não teria entrado nesse mundo blogueiro! Foi conhecendo a sua arte que provoquei-me a libertar a minha... Foi com Dona Patita que tudo começou! E estou muito feliz por ela ter aceito o meu convite.
Espero que gostem e até Fevereiro! :P
Beijos!


8 comentários:

Leonardo Caldas disse...

e que seja uma maria de janeiro... ;)

RAQUEL disse...

Belo poema.
Esta Maria entende da dor e da alegria

moacircaetano disse...

Nossa, Mary!
Que lindo esse poema!
Acho que vou gostar da Patrícia sim (afinal, o nome ajuda! rs...)
Beijos pras duas!!!

Múcio Góes disse...

Patati, patatá, ta aqui, ali, acolá, e no meu peito esse infinito rufar. Saudades de tu, menina baiana!

Vixe, Maria! ;)

bjssss, e bem-vinda!

Nanna disse...

Pati, que bom ter você por aqui... :)
Fantástico seu poema!

Um grande beijo pra vc...
:))

Aline disse...

Seja muito bem vinda :D

Leandro Jardim disse...

Lindíssimo poema!!!

perfeito para o boas-vindas de braços abertos pra essa, pelo já visto querida, Patrícia

Batamos palmas, cabeças!

beiJardins

Augusto Sapienza disse...

Leitura gostosa...

Maria é bela, mas eu:

"Augusto
é como maracarrão instantâneo:
(um modismo contemporâneo)
rápido, prático
(plástico)
e objetivo
mas nada nutritivo!
Feito na massa
da moda foda...
Uma massa cinzenta
com mídia-molho de tomate
em banho maria
de um dia
sem tempero,
sem responsabilidade,
sem visão,
só às vezes tesão,
mas sempre desespero"

Beijão