terça-feira, janeiro 30, 2007

verbo in vento


um sopro no peito,
a alma presa,
a língua solta,
um verbo no vento,
desinventa essa vida louca.
dela me despeço,
em fumaça me faço,
souvenir, adereço,
um tropeço
a cada passo,
esse grande sucesso
em matéria de fracasso.

10 comentários:

czá disse...

final genial, seu múcio
:)

fabio jardim disse...

fabuloso o jogo que vc faz com as palavras, rapaz. muito bom!

Sandra Regina de Souza disse...

eu adverlabialmente disléxica não consigo mais escrever algo com nexo depois de ler seus versos tão lindamente inventados... e deixo meus verbos calados.
Meu beijo mudo, Múcio...

Jefferson de Souza disse...

Sou verbo solto
ao vento
Me junto
às outras idéias vagantes
e aumento

1... Isso tá me dando 1 idéia...

Até 5ª!

mary disse...

Delírios do ser... você. ;)

Beijosss

Juliana Marchioretto disse...

lindos versos, moço!

bjos

Aline disse...

Desabafo...

Bjos.

moacircaetano disse...

Grande Múcio!
Reinventar palavras e vida... sua especialidade!

abraço!

Cristina Loureiro dos Santos disse...

É um jogo de palavras lindo, Múcio!

Beijos :)

Leandro Jardim disse...

esse
"fracassucesso"
de Seu Múcio
tá (de)mais
é pra forte!

abraço, poeta pleno
do amigo Jardineiro