segunda-feira, janeiro 01, 2007

...

E ele chegou
Devastou tudo
Tirou tudo do lugar
Bagunça.

Trouxe um cheiro
Um gosto amargo
Pisava forte
Medo.

Apresentou-se
Contou sua história
E seus porquês.
Realidade.

Chama-se idade
Não faz caridade e
Deu-me um espelho
Nudez.

9 comentários:

Augusto Sapienza disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Augusto Sapienza disse...

O primeiro poema de 2007 é sobre o compasso para o fim, bem propício...

"Sentado na sala das muitas idades / Com a janela da alma para oeste / Um belo crepúsculo acontece / Trazendo às mãos inúmeras verdades" (Rubro Crepúsculo)

Bom mais um ano novo para todos...

Múcio Góes disse...

mandou muito bem, pareceu música de Chico...

bjsss!

moacircaetano disse...

belo!
belíssimo, aliás!

por essas e outras que te adoro!

Juliana Pestana disse...

Mas no fundo não é tão gostoso quando tira tudo do lugar?!

*
*
*
*

Bom ler-te em 2007!

^.^

Jefferson de Souza disse...

Lindo, lindo, lindo, Aline qrida!

=)

Bjão p/ vc!

Nanna disse...

Amiga, bonito demais!

Um beijo pra vc...
:)

mary disse...

Lindo! :)

bjuss

Leandro Jardim disse...

chama-se idade
e arde a chama
ama a cidade
que lhe parte
à cama
e clama, é nova
novidade

beiJadins-ins-ins